Qual a diferença entre mudas clonais e mudas seminais?

Quer investir no plantio de madeiras nobres e não sabe por onde começar? Que tal entender os diferentes processos que podem dar origem às mudas?

 

As mudas de mogno africano podem ser clonais ou seminais. Isso significa que elas podem ser obtidas por meio de estratégias distintas. Neste artigo, vamos explicar quais as diferenças entre as mudas clonais e seminais para te ajudar a entender qual delas é a melhor opção para o seu investimento.

O que é uma muda clonal?


A
clonagem é um processo de produção de indivíduos que são geneticamente idênticos, ou seja, que têm os mesmos genes. Assim, as mudas clonais são cópias idênticas à planta de onde se retirou o material vegetal para sua produção, que é chamada de matriz.

Isso representa uma grande vantagem para o plantio, uma vez que é possível escolher matrizes diferenciadas como ponto de partida para a produção de mudas clonais. 

 

O processo de seleção das matrizes pode se dar por diversos métodos, como, por exemplo: seleção das melhores mudas, obtenção de sementes de árvores selecionadas, obtenção de sementes de árvores com condução de polinização, seleção por características específicas (como resistência ao estresse hídrico e/ou à pragas e doenças, ganho de cerne, características da madeira), dentre outros.

 

São métodos que buscam escolher os melhores indivíduos para propagação por meio da clonagem.

 

VÍDEO: Aprenda a identificar uma boa muda clonal de mogno africano!

O que é uma muda seminal?

 

Como o próprio nome já indica, mudas seminais são provenientes de sementes da planta. Elas são cultivadas dentro de ambientes controlados, em tubetes, para garantir as melhores condições de germinação e desenvolvimento das mudas.

 

Logo, a principal diferença entre as mudas clonais e seminais é que, enquanto a primeira é obtida por meio de clonagem, a segunda é por meio do cultivo de sementes. No caso do mogno africano, o desenvolvimento das mudas clonais foi impulsionado pela escassez de mudas seminais, já que a produção de sementes é anual e elas perdem rapidamente sua capacidade de germinação.